© 2019 by Mário Redondo.

Lisboa  /  Portugal

 actor

O encontro com o palco dá-se em 1987, com 16 anos, no grupo de teatro amador O Culto da Máscara, que também dirige até 1992. Nesse ano, estreia-se como actor profissional no Teatro Aberto, mas é só em 1994 que inicia o curso de Teatro na ESTC (Conservatório).
Desde então trabalhou com encenadores como Jorge Listopad, João Lourenço, Fernando Gomes, Carlos Pessoa, António Pires, Cláudio Hochman, João Brites, Jorge Fraga e Terry Jones.
Desde cedo a sua “costela” de cantor tornou inevitável a afirmação do teatro musical como género privilegiado, ainda que não exclusivo, e assim tem sido até hoje.

Em 2008 foi nomeado para o Globo de Ouro de Melhor Actor de Teatro pelo seu trabalho em “Sweeney Todd”.

 

      TEATRO

“O Fantasma da Ópera” (enc. Pedro Ribeiro, Coliseu do Porto e Cp.Pequeno, 2019)

“O Fim Do Teatro” (enc. Pedro Saavedra, Festival Exquisito, Setembro 2018)
“Jesus Cristo Superstar”, no papel de Pilatos (enc. António Leal, Carregal do Sal, 2014)
“Tomorrow Morning – Um Novo Dia” (enc. Eduardo Barreto, Casino Lisboa, 2014)
“Ensaio Aberto” (enc. José Lourenço, ACTA – Algarve, Julho 2010)
“O Príncipe de Homburgo”, de Kleist (enc. A.Pires e L.Costa Gomes, CCB, Lisboa, Fev. 2010)
“O Misantropo”, de Moliére (enc. Ana Támen, Palácio Marquês de Tancos, 2009)

“Piratada à Portuguesa” (revista - enc. Marina Mota, Teatro Maria Vitória, 2009)
“Evil Machines” (enc. Terry Jones, T.S.Luiz, 2008)
“Sweeney Todd”, no papel de Sweeney Todd (enc. João Lourenço, T.Aberto, 2007)
“Os Sonhos de Einstein”, no papel de Einstein (enc. Cláudio Hochman, T.Trindade, 2005/2006)
“Ópera de Três Vinténs”, no papel de Mack da Naifa (enc. João Lourenço, T.Aberto, 2005)
“Kvetch”, de Steven Berkoff (enc. Eduardo Condorcet, Ninho de Víboras – T.Trindade, 2004)
“O Último Tango de Fermat” (enc. Cláudio Hochman, T.Trindade, 2004)
“A Verdadeira História da Gata Borralheira”, de R.Walser (enc. Jorge Listopad, C.T.Sintra, 2002)
“O Navio dos Rebeldes” (enc. Cláudio Hochman, T.Trindade, 2002)
“Migalhas de Um Deus Intratável” (enc. Carlos Pessoa, Teatro da Garagem - CCB, 2001)
“Alegre Campanha” (Eça de Queirós, enc. Silvina Pereira; Teatro Maizum/Palácio Foz, 2001)
“O Magnífico Reitor”  (Freitas do Amaral, enc. Jorge Fraga; Teatro da Trindade, 2001)
“Romeu e Julieta”  (Shakespeare, enc. Jorge Fraga; Teatro da Trindade, 1999)
“O Rapaz de Papel” (enc. Juan Font, T.Trindade, 1998)
“Peregrinação” (dir. João Brites, Expo 98)
“Haja harmonia!”  (Mário de Carvalho, enc. Mário Jacques; Malaposta, 1997)
“Zaragata em Chioggia”  (Carlo Goldoni, enc. José Peixoto; Malaposta, 1997)

“Ópera de Três Vinténs” (enc. João Lourenço, T.Aberto, 1992)
“O Marido vai à Caça”  (George Feydeau, enc. Fernando Gomes; Teatro Aberto, 1992)

     CINEMA e TELEVISÃO

“Nazaré” (novela - SIC, 2019)

“Paixão” (novela - SIC, 2018)
“Sim, Chef” (série - RTP, 2017)
“Ouro Verde” (novela - TVI, 2016)
“A Casa das Mulheres” (telefilme - João Cayatte, TVI/Plural, 2011)
“Anjo Meu” (novela - TVI, 2011)
“A Audição” (curta-metragem, F.Campos e H.Bagulho, 2009 / Melhor Filme PT no Fest 2010)
“Cidade Despida” (série - RTP, 2010)
“Um Lugar Para Viver” (série - RTP, 2009)
“Amália” (C.Coelho da Silva, 2008)
“Música no Ar” (entretenimento - RTP, 2005)
“Inspector Max” (série - TVI, 2005)
“Ecoman” (série - RTP, 2000)
“Médico de Família” (série - SIC, 2000)
“Capitães de Abril” (Maria de Medeiros, 1999)
“Uma Casa em Fanicos” (série - RTP, 1999)
“Era uma vez...” (série - SIC, 1997)
“Sinais de Fogo” (Luís Filipe Rocha, 1994)